Archives For design

Ago Micro Taxi

Marcelo Teixeira —  21 de maio de 2013 — Comentários

AGO TAXI AGO TAXI

Conceito de Micro Taxi projetado por Maxim Shershnev & Tigran Lalayan. Levando em consideração o fato que táxis geralmente levam apenas 1 ou 2 passageiros de cada vez, o Ago Taxi elimina o inútil assento do passageiro, posicionando o motorista no centro e passageiros em assentos auxiliares próximos à frente. Economizando todo aquele espaço interior significa que o tamanho do exterior também pode ser reduzido. É sensível estiloso e o melhor.

AGO TAXI AGO TAXI   AGO TAXI AGO TAXI

Bicymple

Marcelo Teixeira —  21 de abril de 2013 — Comentários

Bicymple

Como a maioria de nós, eu comecei a andar de bicicleta quando eu era apenas um garoto. Para mim, tinha tudo a ver com liberdade, diversão e aventura. Quando ainda era adolescente, eu economizei dinheiro suficiente para comprar a minha primeira mountain bike “de verdade” e a partir daí, eu viciei.

Nos últimos anos, como a tecnologia das bicicletas foram se tornando mais e mais avançadas, encontrei-me intrigado pelas bicicletas minimalistas. Comecei a pedalar em uma única velocidade com freio reverso e como muitos, fui lembrado do por quê me apaixonei por bicicletas.

O conceito de simplicidade no design das bicicletas me tocou sensivelmente e comecei a me perguntar se eu poderia projetar uma bicicleta ultra-simples e que ainda fosse divertida de pilotar, e mais importante, elegante. A partir daí, o bicymple nasceu (Josh Bechtel).  Via Kickstarter.

A Bicymple é um conceito de bicicleta, projetada por Josh Bechtel, que se tornou realidade através do Kickstarter , site de angariação de fundos para projetos criativos, onde seu objetivo era angariar 20.000 dólares para tornar esse projeto realidade, o que resultou em 45.000 dólares de apoio da população.

PetHouseÉ…parece que nossos animais de estimação estão melhores que nós…nada mais justo, não existem melhores companheiros do que animais de estimação, e o mínimo que podemos fazer, se escolhemos criá-los, é tratá-los bem.

Agora reparem nos valores dessa casas e vejam se não é um negócio lucrativo. Para tudo existe demanda, só depende do local onde a ideia é aplicada.

Casa legal para animais ricos

ku-xlarge_003ku-xlarge_006

Contém ar-condicionado, sistema de aquecimento e umidificadores, há também a opção de incluir uma webcam wi-fi para ficar de olho no seu bichinho de estimação o dia todo. Via Funky Pets

________________________________________________________________________

Casa de cachorro Propriedade Mexicana, valor: $30,000

ku-xlarge_002

Inclui ar-condicionado, água corrente, aquecedor e iluminação. Via Beyond The Crate

________________________________________________________________________

Cama de gato Atalaya

ku-xlarge_004

via thecooldog

________________________________________________________________________

Mala Beliche

ku-xlarge_005

via etsy

________________________________________________________________________

Onde as casa de cachorro encontram a arte: Casa Biedermeier de Robert Griffin.

ku-xlarge_007ku-xlarge_011

via Dogster

________________________________________________________________________

Casa de cachorro Barril de Vinho.

ku-xlarge_008

via Jacksonville Wine Guide and Cedar Stone Ranch

________________________________________________________________________

 Elite Pet Havens.

ku-xlarge_010

Você tem de $50,000 a $200,000 para uma casa de cachorro customizada ultra-luxo high-tech? Escolha um desses lindos refúgios. Via Elite Pet Havens

________________________________________________________________________

Sofá Túnel de Gato por Seungji Mun

ku-xlarge_012

via Seungji Mun

O que é RENDER?

Marcelo Teixeira —  18 de abril de 2013 — Comentários

Resolvemos resgatar a antiga seção “O que é?” do Tumblr.

RENDER vem do inglês, que significa, em poucas palavras, apresentar, tornar, transmitir.

O RENDER ou a RENDERIZAÇÃO basicamente tem o objetivo de representar um desenho em sua forma mais aproximada da realidade. Os renders começaram a ser feitos à mão, claro, através de perspectivas tridimensionais e uso correto das cores para a representação de texturas, e com o avanço da tecnologia passaram a ser feitos pelo computador.

Na arquitetura podemos ter uma planta baixa, ou croqui, como exemplo de desenho, e uma planta humanizada ou maquete eletrônica, como exemplo de render. Hoje em dia na arquitetura os renders bidimensionais (plantas humanizadas) são feitos por computador através de softwares vetoriais como Corel Draw ou Illustrator, e os renders tridimensionais por softwares 3D como Google Stketchup, Autodesk 3DMax, Cinema4D, entre outros. Alguns desses softwares possuem render nativo, outros precisam incorporar um plugin ou se for o caso pode-se renderizar em um renderizador externo, como o Artlantis.

Miami Balcony Hotel

Planta de locação e planta baixa.

Miami Balcony Hotel

Endepro
Exemplo de planta humanizada.

No design, temos o croqui ou o desenho de peças ou produtos como a ideia inicial, e a aplicação de cores e texturas que representem o material desse produto, como render. No caso do design ainda podemos encontrar mais render nos estilo tradicional, feitos à mão, mas também podem ser feitos através do computador por softwares vetoriais (os mesmos já citados) ou de edição de imagem como o Adobe Photoshop.

Do croqui ao render.

Do croqui ao render.

Render acima, croqui abaixo.

Render acima, croqui abaixo.

Regulamentação furada

Marcelo Teixeira —  10 de abril de 2013 — Comentários

sospesi-su-un-filo

Há pouco tempo soubemos da aprovação da regulamentação da profissão de designer pela Câmara dos Deputados em Brasília, o que para nós designers foi uma conquista, mesmo que ainda não tenha sido aprovada pelo senado e pela presidência; mas ao ler em outra fonte a mesma notícia, eis que me deparo com a seguinte informação: “De acordo com a proposta aprovada, também poderão ser registrados profissionais com pelo menos três anos de experiência até a data da publicação da nova lei. O projeto original permitia o registro somente daqueles que provassem o exercício da profissão durante cinco anos ou mais antes da publicação da lei.”

Eu me pergunto, para que vai servir a regulamentação? três anos de experiência em uma área um tanto “prostituída” por “autodidatas”, e nada melhor do que ganhar uma certificação em menos tempo que um bacharelado na área. O que isso acarreta? no meu ponto de vista não haverá mais cursos na área, já que é irrelevante perder-se 4 anos se pode-se “perder” apenas três, e digo perder em termos, porque esses três anos a pessoa estará ganhando dinheiro na tentativa e erro já que nem nas profissões mais antigas existe fiscalização. E agora?